como proteger seu pet no inverno

Dicas para proteger seu pet do inverno

Muita gente pensa que, por terem pelos, os animais de estimação não passam frio no inverno. Mas não é bem assim. Apesar da pelagem, nossos amiguinhos também podem ser afetados por questões relacionadas à queda das temperaturas, desde sentir frio até doenças comuns nesta época do ano, como gripes, resfriados, problemas osteoarticulares e respiratórios.

Além disso, outros aspectos, como as chuvas e o vento, podem nos obrigar a mudar alguns hábitos dos pets, seja em seus passeios ou até no tipo de comida que comem.

Por isso, neste post elencamos algumas dicas para você proteger seu pet no inverno. Vamos lá?

Dicas para proteger seu pet do inverno

1. Atenção à alimentação

É claro que precisamos estar atentos à alimentação dos nossos companheiros em todas as estações, mas o inverno pede cuidados especiais. Por exemplo, dê uma alimentação mais natural; algumas carnes, frutas e legumes podem ser adicionados à rotina do seu amigo peludo. Mas, é claro, não deixe de consultar um médico veterinário antes de adotar um programa alimentar diferente para o animal.

Caso continue dando ração, o conselho é optar por marcas super premium, que asseguram uma nutrição mais completa para seu bichinho.

Além disso, no inverno os animais gastam mais calorias para manter o corpo aquecido e, por isso, precisam de mais energia na alimentação. É possível aumentar de 10% a 20% a quantidade de comida dependendo do bichinho.

Veja nossas alternativas para a alimentação de cães e gatos.

2. Cuide com os aquecedores

Tenha atenção com os aquecedores elétricos, pois eles são uma fonte de calor intensa, atraindo os animais, que deitam em frente ao equipamento e aumentam o risco de se queimarem. Afinal, muitos desses equipamentos não possuem uma proteção adequada para os bichinhos. Tente não deixar os aparelhos no chão, e jamais deixe os pets sozinhos com os aquecedores ligados.

3. Ar-condicionado também pode prejudicar

O ar-condicionado, muitas vezes usado em épocas úmidas para ajudar a tirar a umidade de um ambiente, também é outro aparelho que é preciso tomar cuidado, pois ele pode ressecar as vias respiratórias dos animais. Não é preciso parar de usá-lo, mas evite deixá-lo o dia inteiro ligado. 

4. Cuidado com os esconderijos

Alguns pets, principalmente os gatos, têm o hábito de se esconderem em locais bem estranhos – e até perigosos – para se protegerem do frio. Um exemplo são os motores de automóveis. Esse tipo de esconderijo pode ocasionar acidentes, alguns deles fatais. Assim, sugere-se sempre dar umas batidas no capô e nas laterais do carro para que eles saiam antes de dar a partida no veículo.

O mesmo vale para outros esconderijos muito fechados; antes de tentar tirar o animalzinho de lá, tente fazê-lo sair sozinho, para evitar machucá-lo.

5. Escolha o melhor horário e condições para os banhos

Não há problema em dar banho no seu amiguinho. É possível fazê-lo tranquilamente, mas, se for dar o banho em casa, prefira fazer isso na metade ou fim da manhã, quando a temperatura estiver mais agradável. Já na pet shop, os ambientes costumam ser aquecidos e confortáveis em relação à temperatura.

Também é importante estar atento à umidade do dia, pois isso afetará a velocidade com que o pelo do animal seca. Prefira dar banho em dias mais secos, para deixar seu animal o menos exposto possível à umidade contínua.

Para dar uma reforçada na higiene do seu amigo, confira nossas opções para o banho de seu cachorro ou gatinho.

6. Opte por alternativas confortáveis

No quesito conforto, o inverno é uma época em que os bichinhos precisam especialmente de uma cama macia e uma roupa confortável (se ele gostar). É importante saber o quão aquecido ele precisará ficar, afinal, animais com pelagens diferentes precisam de diferentes níveis de aquecimento.

Confira nossas caminhas para cães e gatos e nossas roupinhas para os cachorrinhos e gatinhos

7. Preste atenção às vacinas

No inverno, o sistema imunológico dos pets pode estar mais frágil, então é importante se certificar de que eles estão imunizados. Os gatos devem estar com a vacina tríplice em dia, e os cães, com a vacina polivalente (V8, V10 ou V12). Caso tenha um cachorro filhote ou idoso ou que viva com muitos outros cachorros, busque vacinas específicas para gripe canina, que protegem contra o Adenovírus Canino Tipo 2, o vírus da Parainfluenza Canina e a Bordetella bronchiseptica.

8. Respeite as especificidades das raças

Algumas raças de animais domésticos, sobretudo cães, precisam de atenção a seu sistema respiratório, em especial os de focinho curto, como Bulldogs, Pequinês e Pugs. Já raças de cachorros como Boston Terrier, Chihuahua, Dachshund, Shih Tzu, Pinscher, Poodle, Maltês e Yorkshire sofrem mais com o frio.

Os animais menores e com pelo curto sentem mais o frio do que os animais grandes e os de pelo longo. Assim, é preciso ter bom senso e analisar se o seu amigo está bem aquecido. Qualquer dúvida, procure um veterinário de sua confiança.


Esperamos que este post tenha ajudado você com essas dicas para proteger seu pet do frio. E se precisar de qualquer coisa para seu animalzinho de estimação, conte com a Bichinho Virtual!

Saiba Mais

👉 Fantasias de Carnaval para Pets: modelos para seu bichinho arrasar
👉Cachorro e gato juntos: truques para melhorar a convivência

Aproveite para nos acompanhar no facebook e no instagram

Compartilhar:

Deixe uma resposta